Sections
You are here: Home Informativos Edições 2017 Março Movimentos sociais entregam à PFDC carta pública por igualdade de gênero e fim da violência contra mulheres
Document Actions

Movimentos sociais entregam à PFDC carta pública por igualdade de gênero e fim da violência contra mulheres

2017-03-08 11:27

Iniciativa integra ações em torno do Dia Internacional da Mulher. Neste ano, uma mobilização mundial busca retomar para a data o sentido de luta por direitos

Movimentos sociais e coletivos de mulheres protocolaram na sede da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), do Ministério Público Federal, uma carta pública que lista ameças a direitos dessa população. O documento é assinado por um conjunto de 35 entidades – entre elas o CFemea, a Artemis, a Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos das Mulheres, a Marcha Mundial das Mulheres e a União Nacional dos Estudantes.

A carta destaca desafios como o fim do feminicídio e da carta-publica-mulheres-080317cultura do estupro, as desigualdades de gênero e raça, as graves condições das mulheres em privação de liberdade, a transfobia e a lesfobia, assim como a luta pelos direitos de indígenas, quilombolas, mulheres do campo e de atingidas pela mineração.

“Vivemos no Brasil uma ofensiva fundamentalista que ataca direitos. Uma combinação de racismo e machismo que faz das negras as vítimas principais da violência, dos subempregos e da precariedade no acesso à saúde e à educação. Uma proposta de reforma previdenciária que pretende aumentar e igualar a idade mínima para aposentadoria de mulheres e homens, desconsiderando as jornadas extras de trabalho acumuladas diariamente, assim como as dificuldades em garantir a permanência da contribuição previdenciária, já que mulheres ocupam parcela significativa de empregos sem garantias trabalhistas”, enfatizou o grupo.

O coletivo de mais de dez mulheres – entre elas, a pesquisadora da Universidade Federal do Rio de Janeiro Luciana Boiteux; a vereadora da Câmara Legislativa de Belo Horizonte Áurea Carolina; e a representante do Centro Feminista de Estudos e Assessoria Joluzia Batista – foi recebido pela procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, que ressaltou a importância da articulação para a defesa dos direitos das mulheres e do Judiciário como campo estratégico de atuação.

“O que se vê aqui é um conjunto de movimentos que têm rasgos raciais, etnicos, de classe e de orientação sexual distintos, mas unidos numa mesma perspectiva acerca da importância de garantir direitos e de impedir retrocessos sociais. São ameaças que afetam diretamente as mulheres, mas que avançam sobre todos os segmentos, especialmente os mais vulnerabilizados”, ressaltou a PFDC, lembrando ainda a importância de que seja garantida uma educação que assegure a meninos e meninas crescerem conscientes de que são iguais em direitos.

As demandas apresentadas pelo grupo serão compartilhas pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão durante o seminário "Mulheres no Poder Judiciário : Desafios e Trajetórias", que acontece hoje (8/3), a partir das 14h, no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Além do Ministério Público Federal, o diálogo reunirá representantes da Justiça Federal e da Ordem dos Advogados do Brasil. A atividade é aberta ao público.

Parada internacional – A carta entregue à PFDC integra um conjunto de ações que marcam as mobilizações em torno do Dia Internacional das Mulheres, celebrado nesta quarta-feira, 8 de março. Neste ano, uma mobilização mundial busca retomar para a data o sentido de luta por direitos. A Parada Internacional de Mulheres está prevista para ocorrer em mais de 30 países, de todos os continentes, e será o primeiro dia internacionalmente coordenado de protesto contra retrocessos de direitos das mulheres.



Informativos

2017

Setembro

Agosto

Julho

Junho

Maio

Abril

Março

Fevereiro

Janeiro

2016

2015

2014

2013

2012


 

Personal tools

This site conforms to the following standards: