Sections
You are here: Home Informativos Edições 2013 Novembro PFDC promove em Fortaleza seminário sobre violação de direitos humanos em veículos de comunicação
Document Actions

PFDC promove em Fortaleza seminário sobre violação de direitos humanos em veículos de comunicação

2013-11-22 16:48

Evento reúne representantes do Ministério Público,

especialistas e sociedade civil

 

A garantia dos direitos humanos na veiculação de obras audiovisuais foi tema do primeiro dia de debates do "Seminário Ministério Público e Comunicação Social", que a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) promoveu, por meio de seu Grupo de Trabalho Comunicação Social, nos dias 21 e 22 de novembro, em Fortaleza.

A mesa de abertura contou com a presença do procurador-chefe da Procuradoria da República do Ceará, Alessander Sales, do promotor de Justiça Antônio Iran Coelho Sírio e de Davi Pires, representante do Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação (Dejus), do Ministério da Justiça. Na ocasião, o coordenador do GT Comunicação Social, Domingos Sávio Dresch da Silveira, destacou a relevância dessa discussão ser realizada em Fortaleza, uma das cidades que mais concentram esse tipo de conteúdo de mídia.

A primeira mesa de debates teve como foco a garantia dos direitos humanos de crianças e adolescentes por meio da classificação indicativa. A professora da Universidade do Ceará Inês Vittorino destacou que o novo cenário de mídias digitais acaba por colocar crianças e adolescentes em uma condição de maior vulnerabilidade: "as mídias impressas permitiam um controle mais efetivo, diferente das mídias eletrônicas, nas quais crianças e adultos ocupam o mesmo espaço comunicacional". A professora da UFC também abordou os desafios da classificação indicativa em contextos culturais e de relações familiares em um país com as dimensões do Brasil.

O Procurador Regional dos Direitos do Cidadão substituto em São Paulo, Jefferson Aparecido Dias, apresentou casos emblemáticos na atuação do Ministério Público Federal na matéria. Segundo Dias, o Judiciário tem respondido de maneira conflitante em ações que tratam do tema, por isso, tem se buscado tentativas de acordo envolvendo empresas de comunicação, poder público e sociedade civil. "Nos casos em que há judicialização, o foco não está no pagamento de multas pecuniárias, mas sim na obtenção de espaços na grade de programação dos veículos - que podem ser ocupados por campanhas educativas sobre o direito afetado", destacou.

A mesa de debates contou também com a participação do procurador Regional da República e coordenador do GT Comunicação, Domingos Dresch, que disponibilizou aos participantes uma coletânea da atuação judicial e extrajudicial do MPF em questões envolvendo comunicação e direitos humanos, além de legislação e doutrina na área. "O material traz uma arqueologia do que o Ministério Público Federal fez nesta área nos últimos 25 anos, identificando vitórias e derrotas que marcam essa atuação". O conteúdo será disponibilizado para acesso público no site da PFDC.

A primeira rodada de exposições encerrou-se com a participação do professor Antônio Jorge, da Universidade de Fortaleza, que tratou da dimensão ética da liberdade de expressão: "é preciso diferenciar a liberdade de expressão do abuso do poder de expressão". Segundo Antônio Jorge, é fundamental unir esforços para agir coletivamente e as empresas de radiocomunicação precisam absorver seu papel na política de classificação indicativa.

 

Programas de entretenimento policialesco - No período da tarde esteve em foco as violações de direitos humanos em programas jornalísticos com temas policialescos. O secretário-executivo da ANDI - Comunicação e Direitos, Veet Vivarta, apresentou o desenho de um amplo estudo sobre esse tipo de programação em algumas das principais cidades brasileiras. A partir de ferramentas de análise de mídia, o estudo pretende identificar as violações mais recorrentes nessa categoria de programas, fazendo ainda uma correspondência com o arcabouço legal que trata do direitos que estão sendo violados. "A proposta é identificar, de modo pragmático, quais violações estão sendo cometidas e a legislação em que se apoiam esses direitos". A elaboração do material vem contando com apoio de instituições da sociedade civil e do poder público vinculados à matéria, entre eles a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão. A previsão é que os resultados sejam apresentados até o primeiro trimestre de 2013.

O professor da Universidade da Bahia Giovandro Ferreira trouxe para o debate alguns exemplos de violações nesta programação, coletados em diferentes programas do País. Estiveram em foco problemas como julgamento antecipado, difamação, exposição de situação vexatória, entre outros. A realidade do tema no âmbito do estado Ceará foi abordado pela Procuradora da República no estado Nilce Cunha. Segundo ela, em 2003 o Ministério Público realizou acordo com as principais empresas de comunicação a fim de que cessassem as graves violações de direitos humanos em programas televisivos exibidos no Ceará. "Os problemas, entretanto, continuaram - tanto que em 2009 houve outra ampla atuação do MPF no tema. Somente neste ano, 13 procedimentos administrativos estão instaurados na PR/CE relacionados a esse tipo de violação".

Hoje os participantes tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a política de classificação indicativa brasileira, em oficina ministrada pelo Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação, do Ministério da Justiça. O objetivo foi expor de maneira clara e simplificada como o Ministério da Justiça realiza a análise de obras audiovisuais - televisão, mercado de cinema e vídeo, jogos eletrônicos e jogos de interpretação (RPG). O diretor adjunto do Dejus, Davi Pires, e a coordenadora de Classificação Indicativa, Alessandra Macedo, apresentaram as definições operacionais e técnicas das tendências de indicação de faixa etária, além de fatores atenuantes e agravantes no processo de classificação das obras.

 

A íntegra das apresentações está disponível no site da PFDC, acesse aqui.

Informativos

2020

Março

Fevereiro

Janeiro

2019

2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

 

 
What do you want to do ?
New mailCopy
 

 

Personal tools

This site conforms to the following standards: